quarta-feira, 31 de maio de 2017

Mikel: Alternativa a Danilo evoluiu no Sado

Mikel renovou recentemente até junho de 2021
Obrigado a vender jogadores num valor total de €100 milhões, para cumprir o Fair Play Financeiro imposto pela UEFA, o FC Porto tem em Danilo Pereira um dos principais ativos e um dos mais prováveis futebolistas a deixar o Dragão durante o verão.

O internacional português de 25 anos foi imprescindível para Julen Lopetegui, José Peseiro e Nuno Espírito Santo, fazendo esquecer Casemiro – o tal que hoje é titular no Real Madrid – e Fernando – que ocupou a posição de médio mais recuado dos dragões durante seis anos. A sucessão do antigo centrocampista não será fácil, mas os portistas têm nos seus quadros um ‘6’ em ascensão no futebol português.


Mikel Agu está na Invicta desde 2009/10, na altura para integrar os juvenis, tendo posteriormente evoluído nos juniores e nos bês, ainda que tivesse sido ocasionalmente chamado ao plantel principal por Vítor Pereira, Paulo Fonseca, Luís Castro e Lopetegui.

Sob a orientação do treinador espanhol, integrou a pré-época em 2014/15, mas lesionou-se com gravidade logo no primeiro treino, com fratura na tíbia esquerda, e só voltou dez meses mais tarde. A vaga destinada para o nigeriano acabou por ser ocupada surpreendentemente por um então médio dos juvenis, um tal… Rúben Neves.

Mikel recuperou do problema físico, mas demorou a readquirir ritmo e confiança. Após ter estado parado durante uma temporada devido à lesão, esteve uma época praticamente sem jogar no Club Brugge – emblema belga ao qual esteve emprestado -, apesar de ter sido campeão, por opção técnica do antigo guarda-redes benfiquista Michel Preud’homme.

A necessitar urgentemente de atuar, o africano foi cedido ao Vitória de Setúbal logo no inicio da época que agora findou. Ainda algo preso de movimentos, receoso e sem confiança, começou por ser suplente de Fábio Pacheco, mas logo à 2ª jornada conquistou a titularidade para, praticamente, não mais a perder.

Com o decorrer do campeonato, mostrou porque nele o Porto viu qualidades. Possante (1,84 m) e combativo para segurar o meio-campo, mesmo com um jeito meio desengonçado foi exibindo o bom posicionamento, a agilidade, a capacidade de desarmar de forma limpa – viu apenas seis amarelos na I Liga – e qualidade de saída de bola que oferece. É daqueles trincos modernos, como as grandes equipas gostam, que destroem, mas também constroem.

À beira-Sado, sob o comando de José Couceiro, somou 34 jogos (31 a titular) e 2760 minutos em todas as competições. Já fluente no português, recebeu quatro citações de melhor em campo por parte do jornal O Setubalense, entre as quais na triunfante receção ao Benfica (1-0) – no dia em que foi pai -, e foi chamado pela primeira vez à Seleção principal da Nigéria. Com 24 anos, é para ter em conta no plantel azul e branco em 2017/18.

Zé Manuel sem chama

Por outro lado, o outro jogador cedido pelo FC Porto ao Vitória, Zé Manuel, não confirmou as boas indicações dadas em representação do Boavista, na temporada anterior. Esperava-se muito mais do atacante de 26 anos, que apenas foi titular em 15 dos 34 encontros em que atuou, tendo apontado somente três golos.
Sem grande surpresa, deverá ser cedido temporariamente ou até transferido a título definitivo pela SAD portista.






2 comentários:

  1. Fez uma grande época no Vitória de Setúbal, tem futuro o rapaz.
    Um abraço.
    Autografos Futebol

    ResponderEliminar
  2. Um dos melhores trincos que o Vitória teve nos últimos anos, a par do Dembelé que jogou na equipa que ganhou a Supertaça Ibérica ao Bétis de Sevilha (2005/06).

    ResponderEliminar